Semear, ceifar… Ação do tempo a passar

O tempo que passou,
Astuto, de mim levou,
O que outrora chamava de amor,
Sobraram resquícios, certeza de dor.

Continua o passar do tempo,
Que me leva ao breve momento,
Em que o amor entre nós existia,
Antes do fim pujante, que agora angustia.

O tempo, que parece ser semeador,
Também é o mesmo impetuoso ceifador,
Porque num dia amor foi semeado,
Noutro, foi tão brutalmente ceifado.

Porém…
Volte logo tempo a semear.
Sei que alguém há, para meu amor entregar,
Novos brotos, coloridos,
colhidos de campos floridos…
Quero a uma Dama ofertar.
Estes tais tão perfeitos,
Que guardo profundo no peito,
Não virá o tempo ceifar.

Por Omar Bennazir – omarbennazir@gmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s