Que vontade…

Inexplicável em sua razão…de detalhes sinuosos e envolventes.

Certas coisas que fogem ao mundo da lógica são mais saborosas de sentir,

Por que existe menos probabilidade de omitir,

Os reais movimentos que nos provocam o prazer.

Que vontade… de encaixar minha mão por trás da tua cabeça, e em gestos lentos, fazer um cafuné de gerar arrepios…(suspiros!!)

De ser atrevido e naturalmente descobrir mais coisas da tua personalidade.

Que vontade… de não ter que lutar contra esta vontade, e simplesmente deixar as vibrações fluírem pelas veias, e a imaginação subir ao mais alto canto do céu.

Sinceridade… sorrisos serenos… silêncio…

Junção e distância. Tempo e isolamento…

Que vontade… de te ver mais e não esperar pelos dias aleatórios e os desencontros casuais.

Desencontros casuais que parecem fazer brincadeira com meu desejo, quando em plena sacanagem, me deixam na expectativa…

Que vontade… de saciar, de pegar… e fazer gostar.

Por que no gostar a presença é sutil, a procura é disfarçada e atenciosa, e as palavras estão a ponto de refletir o querer.

Esse querer…ah! Que entra na cabeça e faz festa… bagunça e deixa saudade daquela proximidade quente…

Que vontade… de respirar profundamente depois de perder o fôlego, de sorrir sem jeito quando o que tenho a fazer é te olhar… de pôr em ação algo que você não espera.

Paz… conflito… espera…

Contradição e emoção…quietude e contemplação…

Que vontade… de sair do foco dos olhos do mundo, e (in)discretamente te provocar para coisas que nós sabemos que fazem tão bem…

Por que não ser como se quer? Por que não fazer o que se fala ou escreve?

Se estamos aqui, é para vivenciarmos cada momento da história… mas eu compreendo a necessidade querer dar apenas um passo de cada vez, conhecer e só depois se soltar…

Que vontade… de ouvir tua voz, e distraidamente rir de felicidade como um menino…

Que vontade… de te segurar pela cintura, e inevitavelmente te abraçar como homem…

Que vontade… de ter mais oportunidades com você.

Não aquelas oportunidades aleatórias e despretensiosas… mas aquelas oportunidades de curtir uma conversa legal e também de estar e ficar com você.

Oportunidades que sejam menos expectativas e mais realidade… menos intenção e mais emoção, e que no final eu possa dizer…

“Que vontade… de te beijar mais…”

Obs: às vezes eu fico meio leso (paralisado) na sua presença… Sinta-se a vontade para me agarrar e fazer o que quiser.

Por Ricardo Verçoza – Professor, Administrador e futuro Jornalista.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s