3 dicas para cuidar do marketing pessoal neste fim de ano

Dezembro. Para muita gente este mês representa renovação, pelo fato do encerramento de um ciclo e geração de expectativas sobre um outro ciclo; para outras, representa um forte momento espiritual, de reflexão e paz; contudo, para muitas outras pessoas representa a oportunidade de aproveitar as festas que este período pode proporcionar. Quando o assunto é marketing pessoal é ai que justamente podemos ter problemas. Como? Com os exageros e com as ações impensadas.

Alguns indivíduos aproveitam para acabar com o estresse acumulado, para relaxar depois de um longo ano de trabalho, ou ainda, quando não gostam de alguma coisa da empresa (ou de tudo), palavras são verbalizadas mais facilmente e se tornam um perigo – especialmente quando temos o tão cobiçado “open bar”.  Seja na vida offline, ou na vida online, precisamos ter certos cuidados, até porque, o marketing pessoal é construção que tem início, mas que não tem fim. Para que você possa pensar neste assunto, muito além do que vai vestir ou do que vai beber, seguem três dicas importantes:

1 – Sobre as roupas: em festas privadas, não há porque se preocupar tanto. No entanto, se você for participar de confraternizações de empresas, especialmente a sua, sabe entender o momento é essencial. Não se vista como se fosse para um casamento, muito menos como se fosse aproveitar o carnaval ou comprar pão – nem oito nem oitenta. Apesar do ambiente ser de descontração, lembre-se que nele também somos observados – independente do cargo ou se pertencemos ou não a empresa-, e as roupas podem dizer muita coisa. Equilíbrio é a palavra-chave.

2 – Sobre o comportamento offline. Nesta dica posso destacar dois itens:

  1. A) Interagir com as pessoas, dar um “oi”, perguntar se “está tudo bem” ou “como tem passado”. Fazer networking parte do pressuposto que o movimento de contato deve parti de você. Não faça como algumas pessoas que vão para as festas/confraternizações exclusivamente para comer e beber, e esquecem da sutileza e importância do networking. Então, socialize!!
  2. B) Álcool não é água, e nem todo tipo é igual (cerveja, vodca, vinho….). Este ponto é para quando houver fartura de álcool, independente de qual tipo – ou o Open Bar. Tem pessoas que se transformam quando ingerem certas quantidades. Especialmente quando for festa/confraternização da empresa, não recomendo confundir álcool com água – o resultado pode ser desastroso. Moderação é a palavra-chave.

3 – Sobre o comportamento online. Nesta dica também posso destacar dois itens:

  1. Esqueça um pouco ou totalmente dos apetrechos tecnológicos, como celulares, câmeras ou tablets. Estamos querendo tanto ter o registro digital que esquecemos o maior e melhor registro que podemos ter para nossa vida: uma vivência. É através desta vivência (e de outras) que construímos nossos hábitos, reforçamos ou reformulamos comportamentos e amadurecemos nossa perspectiva de mundo (incluindo o nosso mundo).
  2. Se ainda assim você insistir em querer ter estes apetrechos tecnológicos por perto, sugiro não postar nada, e em nenhuma das redes, especialmente se estiver sobre o efeito do álcool. Há casos em que pessoas tiveram sérias complicações pelo que postaram nas redes, e eu cito dois exemplos. Em dezembro do ano passado, executiva Justine Sacco foi demitida após postar frase de cunho racista no twitter. A frase que levou à demissão foi: “Indo para a África. Espero não contrair Aids. Brincadeira. Sou branca!”. O segundo caso aconteceu este ano, no Rio de Janeiro. Uma professora causou polêmica ao fazer piada de passageiro em aeroporto que estava de bermuda e camisa regata. No facebook ela postou a foto do suposto passageiro e escreveu: “Aeroporto ou rodoviária?”

Difícil acreditar? Pois existem vários outros casos de efeitos colaterais do uso das mídias sociais. Os exemplos citados não são especificamente em festa/confraternizações, mas nos fazem refletir sobre a importância do que postamos, quando e como postamos. Sensatez é a palavra-chave.

Independente do motivo pelo qual você vai aproveitar este mês de dezembro, podes muito bem compreender as palavras-chave de modo a se posicionar melhor na sociedade. Não estou falando em ser um robô ou de não ter autenticidade, mas de ter ações que venham contribuir para definir seu espaço entre as pessoas, reforçando ainda mais o seu marketing pessoal.

Imagine uma nova história para sua vida e acredite nela. (Paulo Coelho)

Paz e Bem.

Por Ricardo Verçoza – Professor, administrador e futuro jornalista

@CapitaoCoragem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s