Se ela soubesse…

Se ela soubesse como eu meu sinto com sua presença…

Como eu espero coragem para lhe falar de coisas que habitualmente não falaria,

Como gosto de vê-la sorrir,

E admirar esse sorriso. 

Se ela soubesse do meu desejo,

De percorrer seu corpo com morangos mordidos,

De agarrar-lhe e fazer perder o ar,

E em seus braços encontrar calor e paixão.

Se ela soubesse dessa vontade crescente..

Que me perturba o coração,

Que vem sem pedir permissão,

E provoca um tumulto de emoções…

Ah…. Se ela soubesse…

Que cada traço de minha poesia,

É a ela que dedico,

Na esperança que ela possa ler estas palavras…

Se ela soubesse que sou homem e sou criança,

Na expectativa de fazer valer a pena,

Cada impulso, querer e fantasia!

Na simplicidade e na melodia…

Se ela soubesse o quanto eu não quero mais fugir

E o quanto quero extravasar minhas loucuras

Que não vou ser algo passageiro,

Nem babaca ou aventureiro.

Se ela soubesse as tantas coisas que penso e quero..

Mas só uma me faz sentir extraordinário: a sua presença.

Por Ricardo Verçoza – Professor, Administrador e futuro Jornalista.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s