A importância do networking quando ser chato e mediano é o que vale.

Ó fantástico mundo contemporâneo, onde o ter se sobrepõe ao ser! Esta é uma entre as várias curiosidades da nossa sociedade que ao longo do tempo foram mudando, e como consequência transformou a forma com as pessoas se relacionam. Isso é bom? Não sei ainda, mas tenho pequenas conclusões.

Raciocinemos e usemos nossa capacidade intelectual. Se você aparentar “ser” quando o fundamental é “ter”, pode gerar complicações de ordem pessoal e profissional, além de ser identificado(a) como aquele(a) que não acompanha tendências. Mas você que me lê é sagaz e vai se antecipar as tendências, orientando seu comportamento para o que é interessante, de fato: “O ser”.

“O ser” é uma tendência tão explícita que as pessoas não se dão conta de sua importância, mesmo inúmeros jornais e revistas, livros e reportagens televisivas destacarem como você pode criar valor para o mundo. Como exemplo temos uma tendência chamada “networking” (certamente você sabe o que é). Não é uma tendência nova, mas é sempre destacada como um elemento para diferenciação e posicionamento profissional. Para ser eficaz no networking, ou seja, para o resultado aparecer, precisamos prestar atenção em alguns detalhes, senão vamos nos frustrar. Será? Cartão de apresentação criativo? Participar de eventos onde você troca experiências e contatos? Ajudar sem esperar nada em troca? Colocar frases bonitas e filosóficas no facebook, só para ser notado(a) como uma pessoa inteligente, centrada e inspiradora?  Ah…! Tudo isso é conversa fiada! São histórias de conto de fadas que nos fazem acreditar para não alcançar o sucesso.

O verdadeiro networking hoje se centra na capacidade humana de externar sua criatividade em forma de chatice. Oi..?Como assim? Você me entendeu bem. Ser chato é a proposta mais sã para desenvolver o networking, e consequentemente obter o sucesso almejado. Para deixar mais claro o que eu estou falando, deixo para reflexão algumas dicas infalíveis (use sem moderação):

1 – Nos momentos de coffee break, não insista em conversar com gente que você não conhece, pois este momento é um ritual onde os indivíduos têm como principal finalidade tirar o vazio do estômago. Logo, seria deselegante de sua parte interromper este momento. Dica: seja mais inteligente e pergunte qual a hora do coffe break e quais serão os quitutes servidos, além de só se focar em comer.

2 – Postar indiretas no facebook é deixar as pessoas interessadas no que você quer realmente dizer e para quem. É como se você fosse um apresentador de um grande programa e desse uma indireta para um antigo amigo. Como as pessoas não sabem para quem é, vão gostar de interagir contigo para saber mais detalhes. Dica: quanto mais indiretas no facebook você postar, mais interesse você desperta e mais conversar terá.

3 – Reclamar. Mas não é reclamar de qualquer coisa. Reclamar do trânsito, do tempo, da gasolina cara, de como a comida do refeitório da empresa está ruim, reclamar do cafezinho, do salário que é pouco, e até da forma como Deus fez o mundo! Está é uma das maneiras mais diferenciadas de mostrar seu senso crítico e sua capacidade de ser sensível diante dos problemas. Dica: não perca uma oportunidade sequer de reclamar das coisas que vê e até do que está sentindo.

4 – Bom dia? Boa tarde? Boa noite? Só se for para você. Questões de etiqueta comportamental estão em desuso e tornaram-se um ato de desrespeito, além de chegarem a ser entendidas como uma ofensa. Dica: ao se relacionar com as pessoas, dispense a cordialidade, até porque ninguém gosta de falsidade. Você chegou em algum lugar, a pessoas percebem…fique tranquilo(a).

5 – Aceite sem questionar o que as pessoas lhe dizem. Questionar as pessoas (companheiro, chefe… ou professor) sobre algo que você não concorda pode parecer deselegante e em algumas regiões é um atestado de arrogância. Dica: para não correr riscos desnecessários, o melhor é ficar calado e concordar com tudo.

Se o importante é “ser”, então usemos estas dicas para potencializar nosso networking e aprofundamos nossas relações. Parafraseando Glória Kalil: “chique mesmo é ser chato(a) e mediano(a)!”

OBS: obviamente, este texto não passa de uma brincadeira com coisas que certamente você já viu acontecer e que não favorece o desenvolvimento do networking. São práticas constantes e muitas vezes inconscientes das pessoas em seu dia a dia, e que acabam refletindo uma determinada imagem pessoal e profissional. Se você é assim, reveja seu comportamento!

Por Ricardo Verçoza – @CapitaoCoragem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s