Liderança carismática como diferencial competitivo?

Pode um indivíduo, hoje, se utilizar de um estilo de liderança carismática para influenciar as pessoas? Indo mais além: este estilo de liderança pode se tornar um diferencial competitivo?

Ao logo do tempo tivemos vários exemplos de pessoas que se utilizaram do carisma para conseguir feitos sociais, mudanças radicais ou espalhar suas ideologias duvidosas. Exemplos como Madre Tereza de Calcutá, Mahatma Gahdi, Marting Luther king…e até mesmo Hitler e (talvez) Hugo Chavez foram, dentro do contexto no qual atuavam (político, social e cultural), vozes fortes que entusiasmaram muita gente. O que devemos refletir, analisando também os personagens que utilizaram o carisma na história, é possibilidade de desenvolver o estilo de liderança carismática que não seja apenas um discurso entusiasta de momento, mas que incentive as pessoas (na prática e para a prática) a dialética da transformação pessoal e coletiva.

“A dialética é arte do diálogo, onde é possível demonstrar uma tese através de uma argumentação forte, que consiga distinguir, com clareza, os conceitos da discussão.” As empresas precisam de pessoas que apresentem solidez na sua argumentação, que possam usar da maturidade criativa para interagir com os pares e para buscar soluções inovadoras para os problemas do cotidiano. Uma liderança carismática deve ir além da proposta em prol das mudanças, pois tudo que fica no campo das ideias pode até estimular por um período, mas sem a ação a mente e o corpo perdem o “tesão” pela atividade.

Segundo o Wikipédia, o caráter laico da palavra carisma é amplamente utilizado para definir a influência e fascinação por alguma pessoa e está ligado à forma da pessoa de ser e de agir. Dentro deste sentido de ser e agir, o gestor deve pensar a formação do indivíduo pela troca de experiências contínua e pelo estímulo à realização das atividades no curto, médio e longo prazos. Podemos entender a liderança carismática, dentro do contexto do mercado de hoje, como um diferencial competitivo a partir do momento que deixamos a visão romântica (que muitas vezes idealiza um futuro perfeito) e o foco nos interesses próprios e passamos a agir buscando o desenvolvimento independente, e ao mesmo tempo, coletivo das pessoas.

Independente porque a pessoa tem um nível de saber, tem uma consciência crítica, uma percepção de mundo. O que ela deve fazer é amadurecer esses aspectos de sua construção como ser humano. E coletivo porque o resultado desta construção como ser humano vai ser constantemente testado na convivência com outras pessoas. A disposição da empresa, e principalmente do gestor, se tornam fundamentais para que uma liderança carismática possa ser enxergada como elemento de reinvenção e não como fogo de palha, que até queima, mas que logo se apaga.

Por Ricardo Verçoza – Professor, Administrador e blogueiro.

@CapitaoCoragem

Fontes: http://www.dicionarioinformal.com.br/dial%C3%A9tico/ , http://pt.wikipedia.org/wiki/Carisma

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s