Mudar a situação ou mudar a forma como reagir à situação?

É a pergunta-problema que talvez mais apareça no cotidiano frente às diversas situações que nos ocorrem. Vale a pena refletir um pouco. Com a globalização e os múltiplos avanços da tecnologia, as variáveis internas e externas estão cada vez mais influentes nas nossas decisões, e eu explico quais são e como nos influenciam.

Variáveis internas são os compostos comportamentais que vão edificar nossas características pessoais, nossas crenças, nossos valores em relação às outras pessoas e ao mundo também. Elas nos estimulam a compreender como podemos crescer e estabelecer conexões com os indivíduos, bem como formam nossa visão sobre os ambientes em que estamos inseridos. Hoje em dia, muitos pais fragilizam seus filhos por não deixar que eles desenvolvam mecanismos de superação, e assim possam sair mais fortalecidos das dificuldades. Esta nova geração (geração Y e também geração z) chega ao mercado de trabalho com uma frágil armadura de aço, que ao menor sinal de atritos começa a se desfazer em impaciência, histeria ou nervosismo. Logo, é fundamental estarmos investindo em educação e em experiências que nos façam reinventar nosso estado de consciência atual e que nos façam entender como as situações alteram as variáveis internas.

Já as variáveis externas envolvem fatos e acasos fora de você, e por consequência menos passível a controle. Coisas, emoções alheias, política, economia…esses são apenas alguns assuntos do imenso leque de influencia. Geralmente tudo que não se situa numa determinada faixa de conhecimento e de vivência causa uma certa preocupação (para não dizer muita) sobre os possíveis impactos na nossa pessoa e naquilo que estamos realizando. Estar sujeito a descobrir, compartilhar aprendizados, e ir além do ponto que estamos acostumados faz aperfeiçoar a percepção e o “famoso” e necessário jeitinho brasileiro.

Mudar a situação talvez te desgaste muito e te faça perder um tempo precioso que ao final de tudo não é garantia de paz e resolução de conflitos. Agora, mudar a forma de reagir a situação é transcender os limites que você mesmo (a) tinha imposto…é amadurecer no compasso da vida…é se inspirar no presente para construir um futuro melhor. E o bom de sermos humanos é poder escolher qual caminho trilhar. Qual sua escolha?

 

Por Ricardo Verçoza

@CapitaoCoragem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s