Meus respeitos aos Mestres: o passaporte para o futuro!

“Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz, não nossa escuridão, que mais nos amedronta. Nos perguntamos: “Quem sou eu para ser brilhante, atraente, talentoso e incrível?” Na verdade, quem é você para não ser tudo isso?…Bancar o pequeno não ajuda o mundo. Não há nada de brilhante em encolher-se para que as outras pessoas se sintam inseguras em torno de você. E à medida que deixamos nossa própria luz brilhar, inconscientemente damos às outras pessoas permissão para fazer o mesmo”.

Este pequeno trecho é do discurso de Nelson Mandela em sua posse à presidência da África do Sul, em 1994 . Já faz algum tempo que estas palavras foram ditas (e o momento também era outro), mas seu significado se torna cada vez mais atual. Eu chamo a atenção para aqueles e aquelas que em seu ofício, dedicam-se a construir um país com aspectos diferentes, investindo tempo na convivência, paciência na construção de sabedorias e oportunidades mil. Sou jovem, tenho poucas experiências…o que para muitos me tira muitas possibilidades na vida. Não penso assim.

Penso na forma e no estado de aprendermos com aqueles e aquelas que reconhecem o saber individual e sua importância para a percepção do coletivo… penso identificar o comportamento singular que faz cativar a curiosidade… penso fortalecer a minha identidade enquanto ser humano que é capaz de contribuir para mudança do mundo. Será muita ousadia de minha parte? Muito tranquilamente respondo que não. Paulo Freire (grande educador Pernambucano) percebeu que cada ser é único e possuidor de um saber fantástico, que pode interferir na história na intenção de criar uma sociedade livre e democrática, e o papel do professor parte deste pressuposto.

Às vezes temos medo do que podemos fazer, e assim insistimos em esconder o brilho maravilho e latente que possuímos. Vendo, na ação cotidiana um espelho de possibilidades, sinto-me convidado – e digo até provocado! – a me permitir experimentar as coisas que o mundo pode oferecer. Quero encontrar meu desafio particular… não o desafio que a sociedade, os pais ou os amigos querem para mim, mas o desafio que faz meus olhos brilharem e minha alma se encher tesão. Por me ajudar a dar um passo a frente, a sair do lugar comum,

Obrigado!

Por Ricardo Verçoza

@CapitaoCoragem

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s