A carência de líderes com senso de aventura

É triste ver que nos dias atuais ainda encontramos pessoas que assumem pápeis de líderes negligenciando deveres essenciais de sua função. Não importa a idade: a maturidade que o líder tem, juntamente com sua experiência de vida, proporciona outra perspectiva de ação sobre as pessoas:

“Todo líder deve ter o mínimo de maturidade, isso é fato. Desenvolver pessoas, criar relações de respeito, instigar a capacidade dos outros de expressar opiniões, ouvir as necessidades alheias convergindo interesses pessoais com os da organização.”

Fácil?

Vemos os efeitos colaterais de nossa rotina…vemos que o volume de informações que dispomos hoje não é garantia de resultados satisfatórios….vemos que cada vez mais busca-se ganhar mais. E o que fazer para termos líderes que vislubrem além da cultura da sociedade (cultura que muitas vezes aprisiona o ser humano)? Despertar nos corações da pessoas o poder adormercido, a vontade latente de prosperar. Fugir dos estereótipos é uma ação que pode determinar quão inovador e criativo pode ser o papel do líder numa situação. Enraizar o sentimento de aventura pode trazer experiências para além da zona de conforto…

E é bom saber que sempre temos o poder da escolha.

Por Ricardo Verçoza

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s